Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
Atitude saudável
11/02/2019 Dengue, zika e chikungunya: saiba mais sobre os sintomas

A alternância de altas temperaturas com chuvas que caracterizam os meses de primavera e verão cria o ambiente ideal para o desenvolvimento das larvas e para a reprodução do Aedes aegypti. Por isso os casos de dengue, zika e chikungunya – doenças transmitidas pelo Aedes aegypti – são mais frequentes e numerosos nos meses mais quentes do ano. Por isso, também, é preciso intensificar as ações de combate ao Aedes aegypti e conhecer os sintomas e o que deve ser feito casos eles apareçam.

Dengue, zika e chikungunya: saiba mais sobre os sintomas

Sintomas

Os sintomas das três doenças são parecidos, mas há pequenas diferenças, por exemplo, quanto a forma e a intensidade que eles se manifestam. Na dengue, a primeira manifestação é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, manchas vermelhas no corpo ou exantema e prurido cutâneo.

Assim como a dengue, a chikungunya costuma causar febre alta, dor de cabeça, dores articulares e dores musculares. Mas embora os sinais e sintomas sejam parecidos, a intensidade pode ser diferente. A dor nas articulações (artralgia), por exemplo, geralmente é mais intensa. A doença eventualmente causa quadros mais crônicos com sinais e sintomas que podem se arrastar por meses.

Os sintomas causados pela infecção pelo zika vírus também são parecidos. A semelhança com a dengue é em função de alguns sinais e sintomas apresentados pelos pacientes como: febre; manchas pelo corpo com coceira, dor de cabeça e nas articulações, além de enjoo e dores musculares. Um fator que pode ajudar na diferenciação é a presença de olho vermelho em alguns casos de infecção por Zika, geralmente sem incomodar.

O que fazer em caso de sintomas?

Em caso de sintomas a indicação é procurar o serviço de saúde mais próximo. Há, no entanto, algo que pode ser feito antes mesmo do atendimento, no caminho do médico até, a hidratação. Para se hidratar beba água, sucos, água de coco e soro caseiro. Por outro lado, há algo que não deve ser feito: automedicação.

A automedicação nunca é indicada, mas especialmente nos casos de suspeita de dengue, chikungunya e zika, alguns medicamentos devem ser evitados. É o caso do ácido acetilsalicílico (AAS), que podem causar e agravar sangramentos.

Existe medicamento específico?

Por falar em medicamento, será que há algum remédio específico para tratar a dengue, a chikungunya e a zika? A resposta é curta e direta: não. Não existem medicamentos específicos para combater os vírus ou prevenir que estas doenças apareçam.

O tratamento é paliativo, para controlar e amenizar os sintomas. Por isso, é fundamental procurar um serviço de saúde e seguir rigorosamente as orientações do médico, ficando atento a qualquer alteração no quadro de saúde ao longo do tratamento prescrito.

continue lendo
Telefones úteis