Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
Setores da Saúde
Vigilância em Saúde
Vigilância Sanitária
Cidadão
Você Sabia
Vigilância Sanitária
Você Sabia
11/10/2018 Vai viajar para o exterior? Saiba mais sobre CIVP Confira as orientações passadas pela Anvisa

Vai viajar para o exterior? Saiba mais sobre CIVP

Tomar a vacina contra a febre amarela é uma exigência indispensável para quem pretende viajar para certos países no exterior. Além disso, essa vacina é recomendada para aqueles que viajam a algumas áreas do Brasil.

Uma informação importante aos viajantes é que, por precaução, muitos países do mundo, para permitir a entrada em seu território, exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), fornecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Este documento comprova se o viajante fez todas as vacinações necessárias, conforme definido na listagem publicada anualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Então, antes de viajar, verifique se o país para o qual está indo exige ou não o certificado. Confira a lista completa de países que exigem o CIVP e também as orientações de saúde indicadas para o país de destino. Além disso, confira as orientações passadas pela Anvisa:

Conexões em outros países

Outro aspecto que deve ser destacado é que, se no trajeto da viagem houver conexões em países que fazem a exigência do documento, é recomendado obter o CIVP, mesmo que o destinatário fique apenas dentro do aeroporto. Desta forma o viajante evita qualquer risco de ter alguma complicação ou perder a viagem.

Quem precisa do CIVP?

Somente pessoas que estão viajando para países que pedem a comprovação da vacina é que precisam do certificado emitido pela Anvisa.

Como obter o CIVP?

A emissão do CIVP é gratuita e rápida. Para isso, basta o interessado comparecer às unidades emissoras localizadas em alguns portos, aeroportos e fronteiras. Também há unidades públicas e privadas credenciadas para emissão do certificado. Veja a lista completa.

É necessário apresentar o cartão nacional de vacinação que o viajante recebeu no posto de saúde onde tomou a vacina, além de um documento de identificação oficial válido, com foto. É recomendável apresentar um documento de identificação com validade prolongada, como a carteira de identidade ou passaporte, visto que o número do documento apresentado será incluído no CIVP.

Para agilizar o processo de atendimento, recomenda-se que seja feito um cadastro prévio. Os postos que emitem o certificado têm autonomia para estabelecer o seu fluxo de atendimento, já que há locais com muitas demandas. Caso o viajante tenha problemas em relação ao agendamento, poderá entrar em contato diretamente com a unidade emissora de CIVP mais próxima,¿para saber qual o seu horário de funcionamento e as formas de atendimento.

Validade

O CIVP pode ser emitido no mesmo dia em que a vacina contra a febre amarela for aplicada, porém, no campo de validade do certificado, serão contados dez dias a partir da data de aplicação da vacina. Portanto, o CIVP só é considerado válido após esse prazo. Assim, é fundamental que o interessado não deixe para se vacinar na última hora. É importante lembrar que quem já foi vacinado pelo menos uma vez na vida contra a febre amarela não precisa mais tomar a vacina.

Clique aqui para saber mais sobre a dose única da vacina contra a febre amarela.

E se eu não puder tomar a vacina?

Para casos em que a vacinação ou a profilaxia for contraindicada, o viajante deverá apresentar um atestado médico de Isenção de Vacinação, escrito em inglês ou francês. Para facilitar, disponibilizamos o modelo de atestado de isenção. O atestado pode ser apresentado em outro modelo, desde que contenha as mesmas informações. Esse modelo deve ser preenchido pelo médico do próprio viajante, contraindicando a vacina.

Saiba se você pode ou não tomar a vacina clicando aqui.

A Anvisa aplica a vacina?

Não. As unidades da Anvisa somente emitem o CIVP e não realizam a vacinação. Toda a vacinação contra a febre amarela é realizada na rede pública do Sistema Único de Saúde (SUS) e nos serviços privados.

(Foto: Anvisa)

Telefones úteis