Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
Últimos dias de campanha de vacinação contra a gripe 11/06/2018 Últimos dias de campanha de vacinação contra a gripe Com pouco mais da metade do público-alvo vacinado, SES alerta para a importância da imunização na última semana de mobilização

Com cerca de 55,8% de cobertura vacinal, o estado do Rio tem até sexta-feira, dia 15, para se imunizar contra a Influenza no Sistema Único de Saúde, após prorrogação da campanha pelo Ministério da Saúde. Até o momento, apenas 33% das crianças e 45% das gestantes tomaram a vacina. Já entre os idosos, o percentual cresce um pouco, com 63% de pessoas vacinadas. A meta é imunizar cerca de 4,5 milhões de pessoas, entre gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, crianças com idades entre 6 meses e menores de 5 anos, pessoas com mais 60 anos, pacientes crônicos, além de profissionais de saúde e indígenas.

- Essa é a última semana para se vacinar dentro da campanha e alertamos para a importância da população fazer sua parte contra a doença. As pessoas que ainda precisam se imunizar, devem procurar o posto de saúde até dia 15 e se vacinar. Essa é uma forma eficiente de evitar a gripe que, apesar de não ser uma doença grave, pode se agravar entre os grupos prioritários – afirmou o secretário de Estado de Saúde, Sérgio Gama.

As doses aplicadas durante a 20ª Campanha de Vacinação contra a Influenza, programada pelo Ministério da Saúde, imunizam contra os três subtipos de gripe que mais circulam no inverno: A/H1N1, A/H3N2 e Influenza B. De janeiro até 7 de junho deste ano, foram notificados 513 casos confirmados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no estado do RJ, sendo 17 deles causados pelo vírus H1N1 e 23 provocados pelo vírus H3N2. No mesmo período foram notificados 56 óbitos por SRAG, sendo 4 por H3N2 e um por H1N1.

- O inverno é a época de maior circulação do vírus no território fluminense, por isso precisamos que a população procure um posto de saúde para se vacinar, a fim de evitar o aumento das chances de transmissão, além das formas mais graves da doença entre os grupos suscetíveis. É importante que todo público-alvo se vacine, mesmo os que já se vacinaram em outra ocasião – comenta a subsecretária de Vigilância em Saúde, Cláudia Mello.

Quer ver mais conteúdos em Notícias?
Telefones úteis