Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
Dia Internacional da Mulher: unidades da rede estadual recebem por ano cerca de 450 mulheres vítimas de violência 08/03/2018 Dia Internacional da Mulher: unidades da rede estadual recebem por ano cerca de 450 mulheres vítimas de violência Para marcar a data, as unidades da rede promoveram uma série de atividades, funcionárias do HTO Baixada participaram de uma sessão de fotos simulando o rosto após agressão física

 No Dia Internacional da Mulher, hospitais da rede estadual promoveram atividades voltadas a suas funcionárias e colaboradoras. De café da manhã a dia de beleza, as unidades proporcionaram um momento de homenagem e agradecimento às mulheres. O dia também foi de reflexão, já que as principais unidades do estado receberam, em 2017, cerca de 450 mulheres vítimas de violência doméstica. 

- Elas representam mais da metade da força de trabalho da SES e são fundamentais para o bom funcionamento das unidades de nossa rede, por isso, devem ser homenageadas diariamente. A violência contra a mulher é um mal que precisa ser banido de nossa sociedade, o debate é fundamental para isso - disse o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Jr.

No Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, as funcionárias tiveram um café da manhã e almoço especiais, além de distribuição de brindes e folders com dicas de alimentação. A coordenadora do refeitório da unidade, Thatiana Nepomuceno, explica que essas ações realizadas em datas comemorativas têm o objetivo de confraternizar e valorizar os colaboradores, saindo um pouco da rotina.

Além disso, a coordenadora administrativa Renata Lopes homenageou as colaboradoras de sua equipe com brindes e cartões com felicitações.

- Acho importante valorizar as profissionais não só nesta data, mas todos os dias. Todas são muito esforçadas e merecem todas as homenagens - declarou a coordenadora.

Além de comemorar a data, o Hospital da Mulher Heloneida Studart também festejou seu aniversário. As funcionárias passaram por uma sessão de massoterapia e receberam a visita dos Doutores da Alegria.

No Hospital Estadual Getúlio Vargas, a psicóloga e psicanalista Manuela Xavier ministrou a palestra “Blasfêmea: enfrentamentos cotidianose empoderamento feminino”. Amanhã será a vez do Hospital Estadual dos Lagos proporcionar um dia de beleza para suas colaboradoras.

O HTO Dona Lindu ofereceu palestras sobre temas como violência contra a mulher e atividades físicas. As funcionárias também tiveram sessões de maquiagem.

HTO Baixada Fluminense: campanha de alerta para a violência doméstica

No HTO Baixada foi dia de emoção e de muitos serviços voltados para as colaboradoras da unidade. Desde bem cedo as mulheres receberam homenagens e contaram com uma série de serviços. Chocolates, palestras e uma série de serviços de estética estavam a disposição das funcionárias, que se emocionaram com apresentação de dança e canto e também tiraram muitas fotos numa cabine montada exclusivamente para ela. O Hospital preparou uma sessão de fotos com as colaboradoras que se destacaram. Elas participaram de duas sessões de maquiagem: uma para festa e uma simulando o rosto após agressão. 

Quem se dedicou durante semanas para a realização do evento foi a assistente administrativo, Elisângela Pereira. Ela cantou para as colegas e foi a responsável pela produção das modelos que posaram maquiadas para festa e também simularam a imagem após uma agressão. A maquiadora sentiu na pele o que é sofrer violência.

- Durante 12 anos eu sofri calada dentro da minha casa, é algo que destrói são marcas que são apagadas do corpo, mas nunca vão sair da alma. Esse trabalho que realizamos hoje é uma espécie de chamado da vida me dizendo que acabou e que eu renasci - contou.

Para a gerente de qualidade e atendimento, Luciana Costa, essas iniciativas de valorização dos funcionários fazem toda a diferença.

- A gente acredita que funcionários felizes transmitem essa felicidade para os paciente,por isso, investimos nosso tempo em proporcionar momentos como esse. Essas mulheres compõem a maior parte de nossa força de trabalho e fazem toda a diferença no dia a dia de milhares de pessoas que passam pela nossa unidade. Tudo o que fizermos ainda será pouco - afirmou Luciana.

Quer ver mais conteúdos em Notícias?
Telefones úteis