Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
Setores da Saúde
Subsecretaria de Vigilância em Saúde
LACENRJ
Notícias
LACENRJ
Notícias
15/05/2019 Dia Nacional do Controle de Infecção Hospitalar

No dia 15 de maio comemoramos o Dia Nacional do Controle de Infecção Hospitalar e a lavagem de mão é de extrema importância para evitar as infecções.

O que é?
   É a medida individual mais simples e menos onerosa para prevenir a propagação das infecções relacionadas à assistência à saúde. “Atualmente, utiliza-se o termo “higienização das mãos” em substituição à “lavagem das mãos”.

Por que fazer?
     As mãos constituem a principal via de transmissão de microrganismos na assistência à saúde. A pele é um possível reservatório de diversos microrganismos que podem ser transferidos por meio de contato direto (pele com pele) ou indireto, através do contato com objetos e superfícies contaminados.


A pele das mãos alberga, principalmente, duas populações de microrganismos:

 Microbiota residente - constituída por microrganismos de baixa virulência. Coloniza as camadas mais profundas da pele. Pouco relacionada às infecções transmitidas pelas mãos.

 Microbiota transitória - constituída por microorganismos que colonizam as camadas mais superficiais da pele. São mais facilmente removidas pela higienização com água e sabão. É a microbiota mais relacionada às infecções veiculadas pelas mãos.

As luvas previnem a contaminação das mãos dos profissionais de saúde e ajudam a reduzir a transmissão de patógenos. Entretanto, elas podem perder sua integridade ou conter microfuros. O uso de luvas não substitui a higienização das mãos.

Para que fazer?
    Remover sujidades, suor, pelos, células descamativas, oleosidade e microbiota da pele interrompendo as infecções de contato e cruzadas.

Quem deve fazer?
    Todos os profissionais que trabalham em serviços de saúde, que mantém contato direto ou indireto com os pacientes, que atuam na manipulação de medicamentos, alimentos e materiais estéreis ou contaminados.

Como e quando fazer?

 Uso de água e sabão – Ensaboar todas as partes das mãos com sabão, enxaguar com água abundante, evitando tocar a torneira e secar com papel toalha descartável.
Indicado quando as mãos estiverem visivelmente sujas ou contaminadas com fluidos corporais ou sangue. No início e final do turno de trabalho, antes das refeições, antes e após o uso do banheiro.

 Uso de preparação alcoólica – Friccionar a preparação, como no uso de água e sabão, nas mãos e deixá-las secar ao ar.
Indicado quando as mãos não estiverem visivelmente sujas e em situações como antes e após o contato com o paciente, após risco de exposição a fluidos corporais, manipulação de produtos estéreis.

 Uso de anti-sépticos – Produtos que associam detergentes com anti-sépticos. Necessário uso de escovas macias, higienização das mãos e antebraços e secagem com toalha estéril.
Indicado na manipulação pacientes portadores de microorganismos multiresistentes, em pré-operatório e determinados procedimentos invasivos.

Telefones úteis