Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
Atitude saudável
09/10/2017 Comprimido, xarope, creme... Quais as principais formas de medicamentos e quais as diferenças entre elas?

Comprimidos, xaropes, cápsulas, pomadas... Tão grande quanto a variedade de medicamentos e o formato em que eles são produzidos, comercializados ou utilizados. A isso se dá o nome de forma farmacêutica, que, conforme definição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é uma combinação da forma na qual o medicamento é apresentado pelo fabricante (forma de apresentação) e a forma na qual ele é administrado, incluindo a forma física (forma de administração).

Lendo assim parece complicado, né? Mas é só uma questão de linguagem. Deixando de lado a definição mais técnica, em linguagem simples: comprimidos, cápsulas, xaropes e pomadas, para citar apenas alguns exemplos, são fórmulas farmacêuticas de medicamentos. Mas além destas, quais são outras formas farmacêuticas, você sabe? E quais as diferenças entre elas?

Explicamos as principais formas farmacêuticas disponíveis para você. Começamos pelas formas sólidas, que são cápsulas, comprimidos, comprimidos vaginais, drágeas, grânulos, hóstias, implantações, óvulos, papeis, pérolas, pílulas, pós e supositórios. Já as formas líquidas incluem emulsão, solução e xarope. Há ainda as formas semissólidas, como os cremes e géis. Confira!

Cápsulas

São formas com uma ou mais substâncias são acondicionadas em um invólucro solúvel que pode ser duro ou mole e ter tamanhos e formatos variados. Normalmente é formada de gelatina, mas pode também ser de amido ou de outras substâncias. São administradas por via oral e possuem propriedades de desintegrarem-se e dissolverem-se no tubo digestivo. As cápsulas permitem a administração de drogas de sabor desagradável e liberam mais rapidamente o princípio ativo do medicamento.

Comprimidos

Os comprimidos são feitos com a compressão de volumes uniformes de partículas. Podem ter vários tamanhos e formatos. Podem, também, apresentar marcações na superfície e ser revestido ou não. Os comprimidos podem ser simples, para serem tomados com água; mastigáveis, ou sublingual, para serem colocados sob a língua e que têm efeito mais rápido. Eles permitem precisão de dosagem, podem ser fracionados e, além de serem de fácil administração, podem ser conservados por maiores períodos de tempo

Glóbulos

Se apresentam sob a forma de pequenas esferas constituídas de sacarose ou de mistura de sacarose e lactose e com álcool acima de 70%.

Granulado

Contém uma dose única de um ou mais princípios ativos. É feito de agregados sólidos e secos de volumes uniformes de partículas de pó resistentes ao manuseio. São granulados os comprimidos efervescentes, por exemplo.

Pastilha

Possuem um ou mais princípios ativos, usualmente em uma base adocicada e com sabor agradável. É utilizada para dissolução ou desintegração lenta na boca.

Supositório

Com tamanhos e formatos variados, são adaptados para introdução pelo reto, vagina ou uretra. Os supositórios fundem-se, derretem ou dissolvem na temperatura do corpo.

Solução

É líquida, límpida e homogênea. Contém um ou mais princípios ativos dissolvidos em um solvente adequado ou numa mistura de solventes miscíveis. Pode ser em gotas, aerossol, para diluição ou injetável, por exemplo.

Xarope

Forma aquosa caracterizada pela alta viscosidade, que apresenta não menos que 45% de sacarose ou outros açúcares na sua composição.

Creme

É formado por uma parte lipofílica e uma parte aquosa. Contém um ou mais princípios ativos dissolvidos ou dispersos em uma base apropriada e é utilizado normalmente para aplicação externa na pele ou nas membranas mucosas.

Emplasto

Adesivo contendo um ou mais princípios ativos distribuídos em uma camada uniforme num suporte apropriado feito de material sintético ou natural. Destinado a manter o princípio ativo em contato com a pele.

Gel

Com um ou mais princípios ativos, que contém um agente gelificante para fornecer firmeza a uma solução.

Pomada

Para aplicação na pele ou nas membranas mucosas, consiste de solução ou dispersão de um ou mais princípios ativos em baixas proporções em uma base adequada.

Importante! É bom saber o que são e quais as principais formas farmacêuticas, mas é fundamental lembrar que a automedicação nunca é recomendada. O médico que deve receitar qualquer medicamento e é ele que definirá, caso a caso, qual a forma farmacêutica mais indicada do remédio a ser utilizado.

continue lendo
Telefones úteis