Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
Gripe: entre grupos prioritários, doença considerada simples pode evoluir para casos graves 19/05/2017 Gripe: entre grupos prioritários, doença considerada simples pode evoluir para casos graves Mais 2,5 milhões de pessoas ainda precisam ser imunizadas no RJ até 26 de maio

 Os sintomas da gripe são aqueles que todos conhecem: febre, tosse, dor na garganta, dores de cabeça, musculares e nas articulações. Mas entre os grupos prioritários - crianças entre seis meses e menores de 5 anos, idosos acima de 60 anos, gestantes e mulheres com até 45 dias de parto - estes sinais podem evoluir para casos mais graves, identificados por episódios de falta de ar, sintomas gastrointestinais, além da dor muscular intensa e o cansaço extremo. A baixa procura pelos postos de saúde é motivo de preocupação entre especialistas, uma vez que, até o início desta semana, seis em cada dez pessoas que fazem parte dos grupos prioritários ainda não se vacinaram.

- Vivemos um momento em que as medidas preventivas são fundamentais. A baixa adesão à campanha ainda nos preocupa e precisamos alertar a população. Sabemos que a gripe é uma doença aparentemente simples, mas que pode evoluir gravemente, principalmente entre os grupos mais vulneráveis. A vacina é segura e está disponível em todas as redes municipais de saúde. É preciso entender que a prevenção é a melhor forma de evitar a doença - reforça Luiz Antonio Teixeira Jr, secretário de Estado de Saúde.

Os grupos prioritários são compostos por crianças de seis meses a menos de cinco anos de idade, as gestantes, os maiores de 60 anos, as mulheres com até 45 dias do parto, os trabalhadores da saúde e os indígenas. Além destes, também fazem parte do público alvo os professores das redes pública e privada, trabalhadores do sistema prisional, adolescentes privados de liberdade e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis, que deverão apresentar prescrição médica antes de se vacinarem.

A vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde, o que inclui os subtipos H1N1, Influenza B e H3N2. Como existem diversos vírus da gripe e eles podem sofrer alterações, é importante que as pessoas se vacinem a cada ano. Desde janeiro, nove casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave provocados por vírus da gripe já foram registrados no RJ - sendo seis óbitos.

- Observamos o aumento da circulação do vírus Influenza B nos últimos meses. A vacina demora cerca de 15 dias para garantir a imunização completa e por isso, é essencial que as pessoas se antecipem à chegada das temperaturas mais baixas. A imunização pela vacina é importante tanto para própria pessoa - ao reduzir a possibilidade de agravamento da doença, com internações e óbito - quanto para seus familiares. É preciso lembrar que a gripe, na grande maioria dos casos, não apresenta complicações, mas entre os grupos prioritários, pode evoluir para formas mais graves. A prevenção é fundamental. A vacina é segura e eficaz, protege contra os principais tipos de vírus da gripe, inclusive, H1N1. Nunca se observou casos de reações graves relacionadas a essa vacina e os benefícios são incontestáveis - destacou o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe.

Cobertura Vacinal - Entre os grupos prioritários, os indígenas são os que apresentam a melhor cobertura vacinal: 73,09% da população estimada já foi imunizada. Os dois grupos com menor quantidade de pessoas que já se vacinaram são o das gestantes (27,58%) e das crianças maiores de seis meses e menores de cinco ano de idade (apenas 18,2%). No estado do Rio de Janeiro, a estimativa é vacinar 4.554.556 pessoas até o final da campanha, mas até o dia 15 de maio, foram aplicadas 1.906.780 doses, segundo o registro feito pelos municípios fluminenses.

Contraindicações - As pessoas que estejam com febre devem esperar melhorar seu quadro de saúde antes de receberem a vacina, mas o imunizante é contraindicado para quem tem alergia a ovo. Segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra a gripe pode ser aplicada junto com outras vacinas e medicamentos.

Prevenção - A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). Cuidados simples podem evitar a contaminação, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração (cansaço extremo).

Telefones úteis